PROVINHA E PROVA BRASIL DE MATEMÁTICA NAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA

Ednei Luís Becher, Fabiola Maria Arioli Tomasi, Jutta Cornelia Reuwsaat Justo

Resumo


Este artigo propõe uma reflexão, motivada pelos resultados de duas pesquisas realizadas com professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental, sobre a Provinha Brasil e a Prova Brasil de Matemática. Os resultados apresentados neste artigo problematizam estas avaliações a partir dos objetivos do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e da visão de professores que ensinam Matemática e supervisores escolares da rede municipal de um município da região metropolitana de Porto Alegre RS. São apresentados aqui resultados parciais de uma das pesquisas e finais da outra, visando subsidiar as discussões apresentada. A abordagem utilizada na pesquisa concluída foi quali-quantitativa enquanto a outra,
ainda em desenvolvimento, foi qualitativa enquadrando-se ambas em um estudo de caso. As análises foram realizadas a partir dos resultados da Provinha Brasil de Matemática, registros de encontros de formação com supervisores e professores, entrevistas semiestruturadas e diários de campo. Os resultados apresentados sugerem que os objetivos propostos para as avaliações são parcialmente atingidos e as maiores dificuldades para a utilização dos resultados e para a sua integração aos processos didáticos-pedagógicos que acontecem nas escolas estão ligadas a falta de conhecimento/capacitação dos professores e supervisores para compreenderem os resultados dessas avaliações, o que inevitavelmente acaba limitando o aproveitamento desses resultados em prol da aprendizagem dos estudantes.
Palavras-chave: Anos Iniciais; Formação de Professores; Matemática; Prova Brasil; Provinha Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18817/pef.v23i1.1653