ECOSSISTEMA MANGUEZAL NA CONCEPÇÃO DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE VIGIA, LITORAL AMAZÔNICO, PARÁ BRASIL

  • Calebe Maia Universidade da Amazônia
  • Hugo César da Silva Santos Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Fabrício Lemos de Siqueira Mendes Universidade Federal do Pará
  • Mauro Márcio da Silva Tavares Universidade da Amazônia

Resumo

As áreas de mangue apresentam importância significativa, mas vêm sofrendo grande pressão antrópica ao longo do tempo. O objetivo deste trabalho foi caracterizar a concepção de alunos do ensino fundamental em uma escola pública no litoral amazônico, estado do Pará. Um questionário contendo 7 perguntas fechadas com características geral do manguezal, foi aplicado aos alunos. Posteriormente, inseridos em planilhas eletrônicas e submetidos à análise de frequência relativa. Os dados apontaram que 45,7% dos alunos envolvidos no estudo, informaram que “não há diferença entre as definições de mangue e manguezal”. No que se refere à importância ambiental e socioeconômica do manguezal, 80% do alunado afirmaram que “sim, abriga diversos seres vivos e gera alimento e renda para as populações ribeirinhas e litorâneas”. Enquanto 82,9% julgaram que o caranguejo é o principal constituinte da fauna de manguezal. Na sequencia, 62,9% dos escolares afirmaram que seus professores “não” abordam temas relacionados a ecossistema manguezal. Já no que diz respeito à ocorrência de algum tipo de degradação ou poluição das áreas de mangue da região, 60% afirmaram que “sim” e 91,4% disseram que se preocupavam com questões ambientais. Quanto à possibilidade de terem visitado um manguezal, 65,7% assinalaram “não” o ter visitado. O alunado demonstrou ter um bom entendimento sobre ecossistema manguezal, porém houve contradição ou não souberam julgar de maneira correta as definições de mangue e manguezal. Expõe-se, assim, a necessidade de intervenções de Educação Ambiental para melhor elucidar aspectos sobre esse importante ecossistema, bem como sensibilizar os alunos, visando à preservação das áreas de mangue. Palavras-chave: Manguezal; Concepção; Educação Ambiental; Amazônia. MANGROVE ECOSYSTEM IN THE CONCEPTION OF STUDENTS OF ELEMENTARY EDUCATION IN A PUBLIC SCHOLL IN VIGIA, AMAZONIAN COAST, PARÁ, BRAZIL ABSTRACT Mangrove areas present significant importance, but suffering great anthropogenic pressure over time. The aim of this work was to characterize the design of elementary school students in a public school in the Amazonian State of Pará coast. A questionnaire with 7 questions with General features, was applied with the students. Later, entered in spreadsheets and subjected to the analysis of relative frequency. The data indicate that 45.7% of students involved in the study, reporting that "not the difference between the definitions of mangrove and mangrove". As regards the socio-economic and environmental importance of the mangrove forest, 80% of students stated that "Yes, it houses various living things and throws food and income for riverine and coastal populations." While 82.9% they claim that the crab is the major constituent of mangrove fauna. In the sequel, 62.9% of schools claim that their teachers "not" embroider mangrove ecosystem-related topics. Already with regard to the occurrence of any kind of pollution or degradation of mangrove areas in the region, 60% says "Yes". And 91.4% who care about environmental issues. While the possibility of having visited a mangrove ecosystem, 65.7% indicate "no" have visited referred to. The students demonstrated a good understanding of mangrove ecosystem, however, there was no contradiction or judge correctly the settings of mangrove and mangrove forest. Showing the need for environmental education interventions to better elucidate aspects of this important ecosystem, as well as sensitize the students, aiming at the preservation of mangrove areas. Keywords: Mangrove; conception; environmental education; Amazon.

Biografia do Autor

Calebe Maia, Universidade da Amazônia
Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade da Amazônia, Belém, Pará, Brasil.
Hugo César da Silva Santos, Universidade Federal Rural da Amazônia
Mestrando em Aquicultura e Recursos Aquáticos Tropicais (PPG AqRAT) pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Belém, Pará, Brasil.
Fabrício Lemos de Siqueira Mendes, Universidade Federal do Pará
Professor da Faculdade de Turismo da Universidade Federal do Pará (FACTUR/ICSA/UFPA), Belém, Pará, Brasil
Mauro Márcio da Silva Tavares, Universidade da Amazônia
Professor do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade da Amazônia (UNAMA), Belém, Pará, Brasil.
Publicado
2018-12-28
Seção
Artigos