GROUNDED THEORY NAS PESQUISAS EM EDUCAÇÃO SEXUAL: O “TRÂNSITO” DA INDUÇÃO AO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO

  • Claudionor Renato da Silva UFG (Regional Jataí)

Resumo

Objetiva-se com esta Nota de Pesquisa indicar a possível (ou não) operacionalidade do método popperiano às pesquisas indutivas em educação sexual, sob a metodologia GT. O objeto de estudo é a metodologia GT que é colocada sob a proposta de “comprovação” (ou trânsito, a partir do indutivismo) para o parâmetro de Popper que estabelece o método hipotético-dedutivo como solução para o problema da indução. Este “trânsito”, dos resultados de pesquisas em educação sexual sob a GT não as invalidam, já que, a metodologia é atestada como coerente, válida, útil e aplicável. Contudo, considera-se que para o campo das pesquisas em educação, particularmente, em educação sexual, tal “trânsito” é de suma importância para o avanço do conhecimento da área e avanços, também, na consolidação das pesquisas qualitativas em Educação no Brasil e a formação de pesquisadores (as) GT. Para fins desta Nota de Pesquisa, a metodologia empregada é bibliográfica. Os resultados indicam a possibilidade deste “trânsito”, mesmo que Popper tenha tratado de pesquisas nas ciências exatas, particularmente, a Física. Tal aproximação do pensamento de Popper às ciências sociais e sociais aplicadas já tem sido uma tentativa e o que se procurou desenhar nesta Nota é justamente ser proposto que o método hipotético-dedutivo seja considerado aplicável nas pesquisas em educação sexual de base indutiva, como a GT, esta, a principal conclusão do artigo. Palavras-chave: educação sexual, Grounded Theory, Popper.

Biografia do Autor

Claudionor Renato da Silva, UFG (Regional Jataí)
Pedagogo. Licenciado em Matemática. Especialista em Gestão Educacional. Mestre em Educação e Doutor em Educação Escolar. Docente e pesquisador na UFG (Regional Jataí). Membro Associado da ABEC-BRASIL, da ANPED e da ABPN
Publicado
2020-01-31