SOBREVIVÊNCIA APÓS INDUÇÃO À TRIPLOIDIA EM Anomalocardia brasiliana (VENERIDAE) POR TRATAMENTO QUÍMICO, HIPOTÔNICO E TÉRMICO

Henrique David Lavander

Resumo


A poliploidia é uma alternativa para melhorar o desempenho zootécnico e é amplamente empregada na aquicultura mundial. No Brasil, o emprego de técnicas na escala comercial limita-se a uma espécie exótica de ostra Crassostrea gigas. O objetivo deste estudo foi avaliar a sobrevivência após aplicação de protocolos de indução à triploidia em Anomalocardia brasiliana através de agentes químicos, como Citocalasina B (CB) e 6 - Dimetilaminopurina (6-DMAP), e métodos físicos, por choque térmico frio e choque hiposmótico. A indução à triploidia por CB foi realizada a 1 mg. L-1, enquanto que a 6-Dimetilaminopurina a 450 µmol.L-1. As induções por choque térmico frio foram realizadas a 2, 5 e 7°C, e as induções por choque hiposmótico a 12 de salinidade. As induções químicas à triploidia apresentaram baixa sobrevivência larval após as primeiras 24 horas, diferentemente dos tratamentos físicos, estes obtiveram mais de 90% de sobrevivência, assim como o tratamento controle. Estes resultados demonstram que os tratamentos físicos neste período são menos agressivos aos ovos e larvas. Porém novos estudos deverão ser realizados, a fim de aprimorar os protocolos para obtenção de poliploides para espécie.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18817/repesca.v11i1.1574