A PAISAGEM SE ANIMA: OS GÊNIOS DOS LUGARES E SUAS RELAÇÕES COM OS HUMANOS NA TRADIÇÃO ISLANDESA

  • Ciro Flamarion Cardoso
Palavras-chave: Paisagem, Islândia, Religião nórdica

Resumo

O tema desta palestra às vezes nem mesmo consta das reconstruções da antiga religião nórdica, tanto no que diz respeito aos seus mitos quanto às suas práticas. De fato, nos aspectos que mais nos interessarão aqui, mantém relações débeis com o universo povoado pelos deuses maiores do panteão escandinavo. Concomitantemente, a crença na existência e na ação de gênios e outros poderes, sobrenaturais mas não propriamente divinos, associados a pontos específicos da paisagem da Islândia, muitas vezes sobreviveu com maior renitência à cristianização do que os mitos e cultos atinentes às divindades pagãs maiores. As fontes para o estudo desses gênios dos lugares são extremamente dispersas e, nelas, as passagens relevantes se mostram quase sempre curtas. Seja como for, mediante a coleta de informações presentes principalmente no Landnamabók (o livros islandês dos assentamentos) em suas diferentes versões e em algumas das sagas, incluindo aquela que se refere a Olaf Tryggvason (contida no Heimskringla de Snorri Sturluson), torna-se possível lançar alguma luz sobre os entes que animavam a paisagem da grande ilha segundo as tradições do paganismo local, bem como sobre suas variadas formas de relacionar-se com os humanos, seja favorecendo-os em troca de um culto modesto, seja prejudicando-os.
Publicado
2019-12-19