A melancolia erótica no auto camoniano el-rei Seleuco

  • André de Sena Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Luís de Camões, El-rei Seleuco, melancolia literária, teatro renascentista, teatro barroco

Resumo

O presente trabalho busca analisar a presença da melancolia erótica renascentista na peça El-rei Seleuco, de Luís de Camões (1524-1579), a partir das teorias do estudioso francês Jacques Ferrand (c. 1575-?), autor de Traité de l’essence et guérison de l’amour, ou De la mélancolie érotique (1610), incluindo ainda alguns elementos comparativos com outros estudos teóricos e obras ficcionais do mesmo período. A imagem do príncipe melancólico é tradicional no teatro barroco e renascentista (inglês, francês, alemão e, também, português), com destaque para Hamlet de Shakespeare, que possui elementos comuns com a peça de Camões. Com a diferença de que o príncipe Antíoco, de El-rei Seleuco, surge como um ‘efetivo’ melancólico, diante do fingimento do personagem shakespeariano.
Publicado
2020-06-03