Calendário Litúrgico e Poder Episcopal nos reinos romano-germânicos: considerações historiográficas

Paulo Duarte Silva

Resumo


Resumo
Vinculada ao PPGHC-UFRJ, nossa pesquisa de doutorado analisa, no âmbito da Nova História Política (NHP) e em acordo com os referenciais teóricos de Pierre Bourdieu e a noção de calendário fornecida por Jacques Le Goff, as formas discursivas de dominação e distinção, bem como de projeção de controle e ordenamento de práticas e temporalidades sociais estabelecidas pelas autoridades episcopais na Primeira Idade Média (séculos IV-VI).
Desta forma, a nossa investigação aborda o calendário litúrgico então em formação sobretudo os ciclos temporais da Páscoa e do Natal , tidos como instrumento e expressão do poder episcopal, em afirmação especialmente nas cidades. Ladeado, portanto, pela afirmação do poder citadino dos bispos e pelo assentamento e posterior consolidação dos reinos romano-germânicos no Ocidente, o calendário torna-se então um dos vetores de cristianização.
Nesse artigo, demonstramos que a historiografia esteve pouco atenta ao estudo dos calendários como meios de fortalecimento eclesiástico no período, ao negligenciar a importância assumida pelas festas cristãs do Natal e, em especial, da Páscoa neste processo.
Palavras-chave: Calendário litúrgico, Historiografia, Poder


Abstract
Related to the PPGHC-UFRJ, our PhD research follows on the New Political History (NPH) and is developed in agreement with the theoretical framework of Pierre Bourdieu and the concept of calendar as presented by Jacques Le Goff. This paper analyses the discursive forms of domination and distinction, as well as the ways of controlling and ordering of social practices and temporalities established by the bishops in Early Middle Ages (4th-6th centuries).
Our inquiry focuses on the liturgical calendar (in formation at the time), especially on the temporal Easter and Christmas cycles, taken as means and expression of the bishoprics power especially in cities. Thus, sided by the affirmation of the episcopal power in the cities and by the settlement and subsequent consolidation of the Roman-Germanic kingdoms in the West, the calendar becomes one of the mediums of Christianization.
In this paper we demonstrate that the historiography has paid little attention to the study of calendars as a way of strengthening the church in that period, while neglecting the importance assumed by Christmas and especially Easter feasts in such process.
Keywords: Liturgical Calendar, Historiography, Power

Texto completo:

PDF


Brathair 2017