PRÁTICA DE LETRAMENTO NA UNIVERSIDADE: ESTRATÉGIAS DE PRODUÇÃO DA TIPOLOGIA DISSERTATIVA PARA ESTUDANTES INDÍGENAS DA UnB

Poliana Mendes Martins, Michelle Machado de Oliveira Vilarinho

Resumo


O objeto de estudo é apresentação do texto dissertativo aos/às graduandos/as indígenas da UnB, com o objetivo de preparar aula e elaborar material didático sobre o tema. A motivação da pesquisa se dá em razão da dificuldade que os/as estudantes indígenas tem em produzir gêneros acadêmicos. A metodologia utilizada nessa pesquisa é baseada no método descritivo-analítico. Utilizamos como percurso metodológico os procedimentos de: a) elaboração de material didático com estratégias para produção da tipologia dissertativa; b) aplicação do material elaborado em sala de aula; c) avaliação dos resultados. Como resultado, identificamos que a tipologia dissertativa pode ser usada como ferramenta de aprimoramento da prática de produção textual de gêneros acadêmicos.


Texto completo:

PDF

Refer?ncias


BAGNO, Marcos. Gramática pedagógica do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: M. Bakhtin. A estética da criação verbal. 3 ed. São Paulo: Martins Fontes, p.277-326, 2000.

CALDAS-COULTHARD, Carmem Rosa. Caro colega: exclusão linguística e

sociedade. Discurso & Sociedad, v. 1, n. 2, p. 230-246, 2007.

Disponível em: .

CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário etimológico da língua portuguesa. 3 ed.

Rio de Janeiro: Lexikon, 2007.

FAULSTICH, Enilde. Como ler, entender e redigir um texto. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

FIAD, Raquel Salek. A escrita na Universidade. Revista da ABRALIN, v. eletrônico, n. especial, p. 357-369, 2011.Disponível em: http://www.abralin.org/revista/RVE2/14v.pdf. Acesso em: 02 set. 2013.

GABRIEL, Alice de Barros. A casa da diferença: feminismo e diferença sexual na filosofia de LuceIrigaray. 2009. 112 p. Dissertação (Mestrado em Filosofia) Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

GARCIA, Othon. Comunicação em prosa moderna. 14. ed. Rio de Janeiro: Inst. de Doc. Fund. Getúlio Vargas, 1988.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Sales. Dicionário eletrônico Houaiss da

língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002. CD-ROM.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. Campo Grande: Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul, 2014. Disponível em. Acesso em: 05 out. 2014. [Documento eletrônico]

NIEDERAUER, Márcia Elenita França. Universidade e universitários indígenas na internet: inclusões e exclusões no âmbito da representação. 2013. Tese (Doutorado em Lingüística Aplicada) Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

STREET, Brian. Perspectivas interculturais sobre o letramento. Filol. lingüíst. port., n. 8, p. 465-488, 2006. Tradução de Marcos Bagno. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2013.

VAL, Maria da Graça Costa Val. Redação e textualidade. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

RESENDE, Viviane; RAMALHO, Viviane. Prática de textos. Brasília: Universidade de Brasília, 2013. [Documento eletrônico]




DOI: http://dx.doi.org/10.18817/rlj.v1i2.1481

Apontamentos

  • N?o h? apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Universidade Estadual do Maranhão - UEMA

Campus Caxias

Departamento de Letras 

ISSN - 2527-1024