O PERCURSO DA FORMAÇÃO DA LEITURA E LITERATURA INFANTIL NO BRASIL: UMA NOVA PERSPECTIVA A PARTIR DE MONTEIRO LOBATO

  • Renata Toigo PUCRS

Resumo

A literatura infantil está cada vez mais presente na sociedade contemporânea, ganhando visibilidade no âmbito dos estudos acadêmicos e manifestando-se nas relações culturais dos mais variados territórios. É preciso entender que a literatura infantil não surge como arte criada para deleite e formação do leitor infantil, mas de um longo processo de construção histórica. É no mundo contemporâneo que a literatura infantil ganha produção diversificada com qualidade ética e estética, bem como estudos e crítica literária. Para entender esse processo percorrido pela literatura infantil, faz-se necessário olhar para o percurso histórico e entender como se deu o processo de emancipação, principalmente o papel de Monteiro Lobato para com a literatura infantil, que por muito tempo foi subjugada a um subsistema literário. É Monteiro Lobato quem começa a romper com as amarras europeias e lança uma nova literatura que, por um lado, interpreta a sociedade brasileira e, por outro, está apoiada na fantasia.

Biografia do Autor

Renata Toigo, PUCRS
Mestra em Letras - Teoria da Literatura PUCRS (2019). Especialista em Literatura Brasileira PUCRS (2016). Graduação em LETRAS - PUCRS (2005). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em formação de leitores e literatura infantil.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. Tradução Aurora Fornoni Bernardini [et al.]. São Paulo: UNESP, 1998.

CHARTIER, Roger. A ordem dos livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XVI e XVIII. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1994.

CHARTIER, Roger. As revoluções da leitura no ocidente. In: ABREU, Márcia (Org.). Leitura, história e história da leitura. Campinas: Mercado das Letras, 1999.

COELHO, Nelly Novaes. Panorama histórico da literatura infantil e juvenil. São Paulo: Ática, 1991.

COELHO, Nelly Novaes. A literatura infantil: história, teoria, análise: das origens orientais ao Brasil de hoje. São Paulo: Global Editora, 1982.

LAJOLO, Marisa; ZILBERNAM, Regina. Literatura infantil brasileira: história & histórias. São Paulo: Ática, 1984.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. A formação da leitura no Brasil. São Paulo: Ática, 1996.

LOBATO, Monteiro. A barca de Gleyre. São Paulo: Brasiliense, 1955, tomos 1 e 2.

LOBATO, Monteiro. Histórias de Tia Nastácia. São Paulo: Círculo do Livro, 1992.

LOBATO, Monteiro. Peter Pan. São Paulo: Brasiliense, 1995.

MACHADO, Ana Maria. Silenciosa algazarra: reflexões sobre livros e práticas de leitura. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

ROBAINE, Nicole. La lectura. In: ESCARPIT, Robert y otros. Hacia una sociologia del hecho literario. Madrid: Edicusa, 1974.

ROMERO, Sílvio. A literatura e a sociedade no Brasil. In: CANDIDO, Antonio (Org.) Silvio Romero: teoria, crítica e história literária. Rio de Janeiro: LTC, 1978, p. 11-24.

VERÍSSIMO, José. Das condições da produção literária no Brasil; O movimento intelectual em 1891. In: BARBOSA, João Alexandre (Org.). José Veríssimo: teoria, crítica e história literária. São Paulo: EDUSP, 1977, p. 42-59, p. 261-270.

VILELA, Fernando. O livro infantil hoje e amanhã. In: PRADES, Dolores. Crianças e jovens do século XXI: leitores e leituras. São Paulo: Livros da Matriz, 2013. p. 118-137.

VERÍSSIMO, José. A educação nacional. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1985.

ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. São Paulo: Global, 1981.

ZILBERMAN, Regina. A leitura e o ensino da literatura. São Paulo: Contexto, 1991.

Publicado
2019-08-15