INCLUSÃO E DIVERSIDADE NA LITERATURA INFANTIL: UM CONTRATO DE COMUNICAÇÃO QUE ESTÁ SAINDO DO ARMÁRIO

  • Anabel Medeiros Azerêdo de Paula Universidade Federal Fluminense

Resumo

Neste artigo, cujo aporte teórico concentra-se na Teoria Semiolinguística (CHARAUDEAU, 2008), pretende-se demonstrar como temas relacionados à homossexualidade são postos em discurso no contrato de comunicação estabelecido pela Literatura Infantil. Nossa hipótese é a de que o leitor destinatário é interpelado por um projeto de influência social, que visa à sua adesão a uma determinada proposta sobre o mundo. Considerando os altos índices de violência contra homossexuais no Brasil, urge a necessidade de combater o preconceito, fomentando o respeito às diferenças. Elegeu-se duas obras remetidas a crianças em estágios diferentes de leitura (COELHO, 2000): Meu amigo Jim (CROWTHER, 2007), destinada a leitores iniciantes, e Meus dois pais (CARRASCO, 2010), indicada a leitores em processo, com a finalidade de descrever as estratégias discursivas, relacionadas à captação, empregadas em dois níveis de leitura distintos. Verifica-se que essas obras possibilitam ao leitor uma atitude projetiva, ligada ao fazer-crer, pois permitem a sua identificação com as personagens e com a trama narrativa e o confronto com as representações que espelham o ser social.
Publicado
2019-08-15