OS ESTILHAÇOS DE MARTINS JÚNIOR E SUA ÉPICA POSITIVISTA: REFLEXÕES HISTÓRICAS SOBRE UMA LINGUAGEM POÉTICA (ANOS 1880)

Resumo

Este artigo se volta a pensar elementos de uma “epopeia positivista” na linguagem poética de Isidoro Martins Junior (Recife, 1860 - Rio de Janeiro, 1904), a partir dos poemas reunidos no livro Estilhaços, de 1885. Adota-se como chaves de leitura, na construção do objeto, a noção de poesia científico-filosófica e a confluência da retórica na literatura brasileira do período. Inspirando-se na perspectiva de Roger Chartier, busca-se mapear uma agenda de ideias e convenções, cujos usos (pelo poeta) fazem da escrita das práticas um fenômeno relevante para historicizar essa produção. Propõe-se, por fim, um quadro das efemérides cívicas evocadas nos Estilhaços, que triangula as ocasiões públicas de declamação, o mover político e a forma de apreensão de ambos nos (e entre os) poemas.

Biografia do Autor

Caroline Guebert, PPGH / UFSC

Graduada em História (UEPG); Mestre em História (UFPR), Doutoranda em História (UFSC - NEPEMI: Núcleo de estudos em políticas da escrita, da memória e da imagem), Bolsista CAPES, integrante da equipe do projeto de extensão “Métricas subjetivas do Tempo” (UFSC) e do Podcast “Paratempo”. Lecionou história em diversas modalidades de ensino; reúne participações em eventos e publicações nas áreas de História Intelectual e História Cotemporânea, em diálogo com grupos de estudos de História literária (Literatura) e Pensamento Social (Sociologia).

Publicado
2020-07-06
Como Citar
GuebertC. OS ESTILHAÇOS DE MARTINS JÚNIOR E SUA ÉPICA POSITIVISTA: REFLEXÕES HISTÓRICAS SOBRE UMA LINGUAGEM POÉTICA (ANOS 1880). REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, v. 4, n. 1, p. 117-137, 6 jul. 2020.
Seção
Dossiê Temático