LESÕES HISTOPATOLÓGICAS COMO BIOMARCADORES DE CONTAMINAÇÃO AQUÁTICA EM Oreochromis niloticus (OSTEICHTHYES, CICHLIDAE) DE UMA ÁREA PROTEGIDA NO MARANHÃO

  • Suelen Rosana Sampaio de OLIVEIRA Universidade Estadual do Maranhão – UEMA
  • Débora Batista PINHEIRO-SOUSA Universidade Estadual do Maranhão – UEMA
  • Zafira da Silva de ALMEIDA Universidade Estadual do Maranhão – UEMA
  • Jonatas da Silva CASTRO Universidade Estadual do Maranhão – UEMA
  • Raimunda Nonata Fortes CARVALHO-NETA Universidade Estadual do Maranhão – UEMA
Palavras-chave: Alterações teciduais, Histopatologia, Tilápia

Resumo

Vários estudos mostram que as alterações histopatológicas são excelentes ferramentas para avaliar e monitorar a saúde dos peixes e o nível de impacto nos ecossistemas aquáticos. Neste trabalho objetivou-se comparar lesões branquiais e hepáticas em tilápia (Oreochromis niloticus) de lagoas de cultivo e de rios de uma área protegida localizada em São Luís, Maranhão. Exemplares foram amostrados em uma lagoa de policultivo e no Rio Ambude com auxílio de tarrafas. A biometria dos peixes foi registrada em laboratório com o ictiômetro. Brânquias e fígados de cada espécime foram fixadas em formol a 10% e mantidos em álcool a 70% até a execução da histologia. Cortes de aproximadamente 5µm de espessura foram realizados e as lâminas obtidas coradas em hematoxilina e eosina, em que atribuiu-se uma escala de acordo com a severidade da lesão, segunda a análise por microscopia de luz. Os tipos de lesões histopatológicas identificados foram agrupados através da análise de Bray-Curtis, por similaridade das observaçoes dos peixes obtidos dos dois sistemas aquáticos avaliados. As lesões histopatológicas indicaram que os peixes do rio e da lagoa de cultivo encontraram-se sob diferentes níveis de estresse ambiental. O órgão que apresentou lesões mais severas (irreversíveis) e de maior similaridade foi o fígado, indicando estresse crônico nos peixes da lagoa de cultivo. Portanto, a espécie analisada apresentou respostas biológicas que podem ser agrupadas de acordo com sua severidade e que podem ser usadas como biomarcadores importantes para o monitoramento dos ambientes aquáticos de áreas consideradas protegidas.
Publicado
2016-06-07
Se??o
Artigos