FLUXO DE TEMPORALIDADES NO LIVRO ILUSTRADO: RECURSOS NARRATIVOS GRÁFICOS NA REPRESENTAÇÃO DO TEMPO NÃO LINEAR

Autores

  • Júlia Parreira Zuza Andrade Universidade de Coimbra

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v4i1.2041

Resumo

O presente artigo propõe uma análise das estratégias verbais, gráficas e imagéticas da quebra de linearidade do tempo no livro infantil que podem ser exploradas por mediadores de leitura. Uma vez que o livro para crianças é constituído majoritariamente por ilustrações e o livro ilustrado é um gênero composto pela interação de imagem, texto e suporte, faz-se necessário investigar em qual medida os elementos constituintes da obra, como capas, tipografia e paleta cromática podem indicar quebras na suposta linearidade temporal da narrativa. Como estudo de caso, o livro ilustrado Depressa, Devagar (2013) da editora portuguesa Planeta Tangerina será analisado nas três linguagens citadas. A partir de contributos teóricos do design, ilustração e livros para infância, pretende-se aumentar a possibilidade de interpretação dos livros ilustrados e discutir como as modalidades editoriais mais recentes trazem novos desafios e novas abordagens para os agentes de leitura, seja em sala de aula, bibliotecas ou outros espaços de leitura partilhada. 

Biografia do Autor

Júlia Parreira Zuza Andrade, Universidade de Coimbra

Mineira de Belo Horizonte, é doutoranda em literatura pela Universidade de Coimbra (Portugal) e mestre em literatura pela mesma universidade. Possui artigos publicados sobre materialidade e relação palavra/imagem no livro infantil. Autora do livro Brilha quando foge (Urutau, 2019).

Downloads

Publicado

2020-07-10

Como Citar

ANDRADE, . J. P. Z. FLUXO DE TEMPORALIDADES NO LIVRO ILUSTRADO: RECURSOS NARRATIVOS GRÁFICOS NA REPRESENTAÇÃO DO TEMPO NÃO LINEAR. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 452-464, 2020. DOI: 10.18817/rlj.v4i1.2041. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2041. Acesso em: 2 dez. 2020.