CARVALHO JÚNIOR: O POETA DA ALCOVA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v4i1.2154

Resumo

Mesmo sendo um dos poetas mais expressivos da geração de 1870, Carvalho Júnior prossegue numa espécie de ostracismo em nossas letras. Pelos versos demasiado lascivos e picantes para o gosto de sua época, o poeta acabou sendo relegado para o segundo plano dos estudos literários, permanecendo como mera figura de transição entre Romantismo e Parnasianismo. Levando em conta que os tempos são outros e que o erotismo não é mais visto com maus olhos em literatura, o objetivo deste artigo é trazer e discutir algumas de suas produções poéticas, a fim de demonstrar suas qualidades, a despeito de qualquer visão moralizante de sua obra. Para tal, iniciamos traçando um breve panorama sobre quem foi Carvalho Júnior, o que e onde escreveu, bem como as principais influências de sua obra; seguimos com a apresentação de alguns elementos formais de Hespérides, segunda seção do livro Parisina (1879), para em seguida nos determos sobre o erotismo contido em seus versos; efetuamos uma relação entre o canibalismo amoroso de Carvalho Júnior e o da tradição literária do Brasil; e, por fim, nos questionamos sobre o seu lugar na história da poesia brasileira.

Biografia do Autor

Leandro Scarabelot , Universidade Federal de Santa Catarina

O autor bacharelou-se em 2016 no curso de Letras - Língua Portuguesa e Literaturas Vernáculas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Possui mestrado em Literatura também pela UFSC. Atualmente é doutorando do Programa de Pós-graduação em Literatura (PPGLit) da UFSC. É membro do Núcleo de Pesquisas em Informática, Literatura e Linguística (NuPILL) da UFSC.L).

Downloads

Publicado

2020-07-06

Como Citar

SCARABELOT , L. . CARVALHO JÚNIOR: O POETA DA ALCOVA. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 8-28, 2020. DOI: 10.18817/rlj.v4i1.2154. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2154. Acesso em: 2 dez. 2020.

Edição

Seção

Dossiê Temático