QUANDO ESTAMOS DE FATO FORMADOS? SOCIALIZAÇÃO DA LINGUAGEM, AS INQUIETAÇÕES DO PROFESSOR E O ENSINO DE LINGUA INGLESA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v6i1.2689

Resumo

RESUMO: Este trabalho apresenta reflexões sobre a formação docente a partir de um projeto de extensão e o modo como as experiências nestes espaços contribuem para a aquisição e performance da linguagem. Os participantes do estudo são licenciandos/as do curso de Letras e suas reflexões que giram em torno de como agir e pensar sobre/a sala de aula, assim como os materiais, a partir do projeto desenvolvido juntamente com professores da Educação Básica do estado do Paraná. Os dados foram analisados a partir da socialização da linguagem, conforme propõem Baquedano-Lopez (2002), Occhs e Schiffellin (2000) e também apoiado na perspectiva de uma Linguística Aplicada indisciplinar conforme defende Moita Lopes (2000) e o pensamento de fronteira presente em estudos da Antropologia, assim como da Linguística Aplicada Crítica sobre decolonialidade (MIGNOLO, 2012). Os conceitos foram adotados para pensar em nossas práticas e o modo como articulamos nossos dizeres em contextos de formação por entender que essa é uma temática bastante importante a ser explorada.

Palavras-chave: Formação docente; Socialização da linguagem; extensão;

Biografia do Autor

Gabriel Jean Sanches, UFSC

Doutorando em Linguística pela Universidade Federal do Paraná (UFSC), mestre em Letras pela Universidade Federal do Paraná (2019) e licenciado em Letras Português e Inglês e suas respectivas literaturas (2014) pela Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR). E-mail: gabrieljsanches@gmail.com

Downloads

Publicado

2022-07-28

Como Citar

SANCHES, G. J. QUANDO ESTAMOS DE FATO FORMADOS? SOCIALIZAÇÃO DA LINGUAGEM, AS INQUIETAÇÕES DO PROFESSOR E O ENSINO DE LINGUA INGLESA. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 534-552, 2022. DOI: 10.18817/rlj.v6i1.2689. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2689. Acesso em: 16 ago. 2022.