LETRAMENTO CRÍTICO PARA DESMISTIFICAR CRENÇAS ACERCA DO ENSINO DE INGLÊS COMO LÍNGUA ADICIONAL

Autores

  • Fátima Machado UERJ
  • Cassandra Rodrigues UERJ

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v5i2.2699

Resumo

Crenças podem ser sociais e individuais, paradoxais, contextuais e dinâmicas. No que tange o ensino de língua inglesa como língua adicional, ainda é flagrante a permanência de crenças impregnadas de preconceito linguístico e de ideologias epistemológicas colonialistas. Além de visões formalistas do que é língua que influenciam a expectativa sobre o que determina saber uma língua (por exemplo, domínio de formas e estruturas gramaticais negligenciando os aspectos sociocomunicativos), há também uma  supervalorização de um modelo idealizado de falante “nativo” com um viés neocolonial que foca em variantes de prestígio (como o inglês americano ou britânico). Combater o preconceito linguístico, questionar as crenças do senso comum e fomentar o pensamento crítico ajuda a promover a autoestima e segurança linguística tanto de alunos quanto de professores. Este estudo, então, propõe uma desmistificação dessas crenças a partir dos multiletramentos e do letramento crítico como um caminho para uma formação linguística integral, consciente e crítica. 

 

Palavras-chave: crenças; ensino de inglês; letramento crítico; multiletramentos.

Biografia do Autor

Fátima Machado, UERJ

Aluna de mestrado do programa PPGL-Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, especialista em Linguística Aplicada ao Ensino de Inglês como Língua Adicional pela mesma universidade. 

Cassandra Rodrigues, UERJ

Aluna de mestrado do programa PPGL-Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, especialista em Linguística Aplicada ao Ensino de Inglês como Língua Adicional pela mesma universidade. Bolsita do programa CAPES.

Downloads

Publicado

2021-12-22

Como Citar

MACHADO, F.; RODRIGUES, C. LETRAMENTO CRÍTICO PARA DESMISTIFICAR CRENÇAS ACERCA DO ENSINO DE INGLÊS COMO LÍNGUA ADICIONAL . REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 95-111, 2021. DOI: 10.18817/rlj.v5i2.2699. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2699. Acesso em: 6 jul. 2022.