LOURENÇO MARQUES SOB A MEMÓRIA E O OLHO DE HERTZOG, DE JOÃO PAULO BORGES COELHO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v6i1.2734

Resumo

Resumo: O presente artigo tem por objetivo analisar a cidade de Lourenço Marques, a capital colonial de Moçambique, através do olhar de João Paulo Borges Coelho, em seu romance O olho de Hertzog. Sob a perspectiva de uma metaficção historiográfica é colocado em xeque a visão fraturada da história oficial da antiga colônia portuguesa em África. O livro se passa em dois instantes diferentes: campanha militar do General Von Lettow Vorbeck na chamada África oriental alemã, fugindo e lutando com as tropas inglesas e o pós-guerra, em que a personagem Hans Mahrenholz/Henry Miller comparece a Lourenço Marques em busca de um diamante. Em meio à memória e à história, Borges Coelho traça a trama que muito se assemelha a de um romance policial, misturando personagens fictícias e históricas e demonstrando a impossibilidade da história única. Para tanto, utilizamos o pensamento de Walter Benjamin, Gilles Deleuze, Félix Guattari, Carlos Reis, Silvio Renato Jorge, Elena Brugioni, entre outros.

 

Palavras-Chave: Moçambique; Memória; História; Metaficção; Lourenço Marques.

Biografia do Autor

Adriano Guedes Carneiro, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em Literatura Comparada, pela UFF (2022) com bolsa CAPES. Mestre em Estudos Literários, subárea de Literatura Portuguesa e Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, pela UFF (2021), com bolsa CAPES. Licenciatura em Letras Português-Literaturas, pela UFF (2017).

Downloads

Publicado

2022-07-28

Como Citar

CARNEIRO, A. G. LOURENÇO MARQUES SOB A MEMÓRIA E O OLHO DE HERTZOG, DE JOÃO PAULO BORGES COELHO. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 25-43, 2022. DOI: 10.18817/rlj.v6i1.2734. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2734. Acesso em: 16 ago. 2022.