“OLHAR NEGRO” E “TRAÇOS DE ANTONIETA”: A MEMÓRIA NA DIMENSÃO DO SENSÍVEL EM OBRAS DE POETAS NEGROS CATARINENSES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v6i1.2790

Resumo

A literatura negra brasileira enfrentou diversos obstáculos para que suas obras tivessem o reconhecimento como produção artística de valor intelectual, em especial se tratando de escritoras.  Acompanhando os movimentos antirracistas e feministas a literatura negra desde suas primeiras obras utiliza a palavra como ato de resistência contra o racismo fazendo ecoar essas vozes silenciadas no processo de dominação dos povos de origem africana. Essa pesquisa é o resultado da análise de duas obras de poetas negros catarinenses contemporâneos Iratan Curvello com “Olhar negro” e Edenice Fraga com “Traços de Antonieta”. Ambos assumem sua raça e cor e utilizam de sua poesia para referenciar outros escritores negros militantes da causa abolicionista e da luta contra o preconceito racial. Os poemas têm elementos que fazem menção a tradição oral africana, denunciam as feridas herdadas da escravidão e retratam a mulher negra como guerreira exigindo visibilidade e direitos e também resiliente amparada pela fé. Mapeando os dizeres intrínsecos desses escritores abre-se para uma discussão sobre o lugar de fala de grupos subalternizados gerados no processo histórico do colonialismo e como a literatura negra aflora como um ato político trazendo as sensibilidades dos olhares negros.

Palavras-Chave: Literatura negra; Resistência; Memória; Identidade racial.

Biografia do Autor

Maeles Carla Geisler, FURB

Acadêmica de Letras – Inglês na FURB – Fundação Universidade Regional de
Blumenau (2019 – 2023). Pesquisa Literatura Negra Brasileira com ênfase na poesia catarinense. É professora de Língua Inglesa na Educação Básica atuando no Ensino Médio em Blumenau/SC.

Marta Helena Curio de Caetano, FURB

Graduada em Letras pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2002). Especialista em Metodologia do Ensino em Língua Portuguesa/Estrangeira e Metodologia no Ensino de Língua Inglesa pelo Centro Universitário Internacional (2009). Mestra em Teoria Literária pelo Centro Universitário Campos de Andrade (2016). Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da
Fundação Universidade Regional de Blumenau. Atuou como coordenadora de área do Subprojeto
Interdisciplinar de Linguagens do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) da Fundação Universidade Regional de Blumenau. É professora de Língua Inglesa na Educação Básica atuando no Ensino Fundamental (anos finais) e Ensino Médio na Escola Sagrada Família e na High School no Colégio Bom Jesus Santo Antônio, em Blumenau/SC. É docente na Educação Superior atuando no curso de graduação em Letras e no Laboratório de Línguas da Fundação Universidade Regional de Blumenau. É coordenadora no FURB Idiomas (FURB). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa para Estrangeiros e Língua Inglesa, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura norte-americana, teoria literária, cinema (adaptação), fonética da língua inglesa, análise crítica do discurso, ensino e aprendizagem em língua estrangeira e tradução/versão de textos, internacionalização, currículo.

Downloads

Publicado

2022-07-28

Como Citar

GEISLER, M. C.; CAETANO, M. H. C. de. “OLHAR NEGRO” E “TRAÇOS DE ANTONIETA”: A MEMÓRIA NA DIMENSÃO DO SENSÍVEL EM OBRAS DE POETAS NEGROS CATARINENSES. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 177-190, 2022. DOI: 10.18817/rlj.v6i1.2790. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2790. Acesso em: 7 out. 2022.