INTELECTUAIS, LITERATURA E ESTRUTURAS DE PODER NO SÉCULO XIX

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v6i1.2798

Resumo

Ao compreender o intelectual como um sujeito complexo, analisam-se aqui as diferentes performances por ele desempenhadas ao longo do tempo, sobretudo no século XIX e em diferentes espaços. Estabeleceu-se como veículo de investigação a literatura em contextos espaciais e históricos distintos. Primeiramente, investiga-se a relação dos escritores com o poder de estado, cuja postura se desdobra, por um lado, em movimentos como o modernismo e as massas, e por outro, nas complexas redes de censura. A posteriori, abordam-se os jogos discursivos por trás de embates entre deísmo anticlerical e fideísmo católico, com análise de posicionamentos na imprensa e, em especial, nas imagens-tese de dois romances diametralmente opostos: A religiosa (1796), do iluminista Denis Diderot, e Lionello (1856), do jesuíta Antonio Bresciani. Tais obras, embora estejam temporalmente distantes, divergem acerca da polêmica anticatólica iniciada no Século das Luzes, com reverberações profundas no Oitocentos.

Biografia do Autor

Daniel Castello Branco Ciarlini, Universidade Estadual do Piauí

Professor Adjunto I da Universidade Estadual do Piauí.
Docente permanente do PPGL/UESPI (linha: Literatura,
Historiografia e Memória Cultural). Coordenador do Núcleo
de Estudos em Sociedade, Imprensa e Literatura Piauiense
(NESILPI).

Downloads

Publicado

2022-07-28

Como Citar

CASTELLO BRANCO CIARLINI, D. INTELECTUAIS, LITERATURA E ESTRUTURAS DE PODER NO SÉCULO XIX. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 618-640, 2022. DOI: 10.18817/rlj.v6i1.2798. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2798. Acesso em: 7 out. 2022.