ÁGUAS PROFUNDAS E ARES INFINITOS: UMA LEITURA DO CONTO “A SEREAIZINHA” DE HANS CHRISTIAN ANDERSEN

Autores

  • Gabriela Regina Soncini Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v8i1.3344

Resumo

Este artigo realiza uma leitura das forças imaginárias e poéticas, através dos elementos materiais e elementares, como as águas e o ar, dentro do conto “A sereiazinha”, do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen. Essa leitura se apoiará em estudos do imaginário dos elementos de Gaston Bachelard (2006), das manifestações do sagrado em elementos da natureza de Mircea Eliade (2010), e do encontro com o imaginário proposto por Maurice Blanchot (2005). O trabalho também usará de contribuições teóricas dos estudos de contos de fadas, elaboradas por Katia Canton (1994), J.R.R. Tolkien (2013) e Nelly Novaes Coelho (1998). A intenção desse trabalho é realizar uma análise através do imaginário que o conto de Andersen apresenta, ao tratar de forma simples, ao mesmo tempo em que profunda, dos anseios humanos de ascensão a outro estado material de ser e estar no mundo, além de fazer uma breve leitura da imagem mítica da sereia, criatura fantástica presente em muitas histórias.

Biografia do Autor

Gabriela Regina Soncini, Universidade Federal de Uberlândia

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários na Universidade Federal de Uberlândia, desenvolvendo atualmente uma pesquisa sobre as imagens florais, transformações vegetais e metamorfoses em flores na mitologia, nos contos de fadas, e na obra do escritor dinamarquês de contos maravilhosos Hans Christian Andersen. Desenvolve estudos sobre as figuras míticas e maravilhosas, como fadas, elfos, sereias, gigantes, e demais criaturas do imaginário. Mestre em Estudos Literários (2020) pela Universidade Federal de Uberlândia, tendo desenvolvido no mestrado o estudo da figura da fada na mitologia céltica, nos contos maravilhosos e na literatura infantil. Possui graduação em Pedagogia (2015) pela Universidade Federal de Uberlândia, tendo desenvolvido na graduação pesquisas sobre os espaços da fantasia dentro da literatura infantil, como possibilidades de projetos para o ensino de geografia. É integrante do Grupo de Pesquisa Poeima Poéticas e Imaginário.

Downloads

Publicado

2024-03-28 — Atualizado em 2024-03-28

Versões

Como Citar

SONCINI, G. R. ÁGUAS PROFUNDAS E ARES INFINITOS: UMA LEITURA DO CONTO “A SEREAIZINHA” DE HANS CHRISTIAN ANDERSEN . REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 4–20, 2024. DOI: 10.18817/rlj.v8i1.3344. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/3344. Acesso em: 21 abr. 2024.