Políticas Editoriais

Foco e Escopo

A Revista Práticas em Extensão (ISSN – 2594-6528) foi lançada em 2017 e é uma iniciativa da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis da Universidade Estadual do Maranhão.  A Revista Práticas em Extensão visa constituir-se como espaço privilegiado à divulgação dos resultados e reflexões oriundas das atividades de extensão universitária em sua indissociabilidade com o ensino e a pesquisa. Assim, a assunção dos trabalhos submetidos à publicação na Revista Práticas em Extensão não se guia por uma única área de conhecimento, e sim pela própria natureza multidisciplinar das ações de extensão universitária. Nesse sentido, a Revista Práticas em Extensão aceita trabalhos que estejam em sintonia com as atividades de extensão universitária que se desenvolvem no universo das áreas temáticas estabelecidas no Plano Nacional de Extensão (Comunicação, Cultura, Direitos Humanos, Educação, Meio Ambiente, Saúde, Tecnologia e Produção, e Trabalho). Seu público-alvo inclui profissionais, pesquisadores, professores e alunos de instituições de ensino superior, órgãos públicos e organizações governamentais e não governamentais.

 

Políticas de Seção

Apresentação

Texto de abertura do número, que introduza os temas tratados e suas abordagens, e/ou expresse os posicionamentos do órgão responsável em relação aos objetivos da publicação.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Editorial

Editoriais são colaborações solicitadas a especialistas de áreas afins, indicados pela direção da revista, visando analisar um tema da atualidade.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Artigos de Opinião

Os artigos de opinião são matérias que suscitam análise e reflexão sobre temas ou ações de extensão universitária relevantes e apresentam, exclusivamente, a opinião do autor.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Artigos

Serão aceitos para publicação artigos que apresentem contribuição nova ao conhecimento e que estejam relacionados com ações na área de extensão universitária. Incluem-se aqui os trabalhos com resultados parciais e/ou finais originados dessas ações.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Relatos de Experiências Extensionistas

Devem descrever precisamente uma dada experiência que possa contribuir, de forma relevante, para a produção de práticas extensionistas. Essa modalidade de texto traz as motivações ou metodologias para as ações tomadas na situação e as considerações/impressões que a vivência trouxe àquele que a viveu.

Em um relato de experiência devem constar a: a) quem e quantos são os envolvidos na ação; b) período de realização da ação; c) como foi o processo de desenvolvimento/etapas da ação relatada; d) quais os desdobramentos não previstos, mas constatados durante a ação; e) quais as aprendizagens observadas durante o desenvolvimento da ação; f) qual a proposta de ação; g) quais as repercussões da ação na comunidade; h) quais as repercussões da ação para os discentes nela envolvidos.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Entrevista

Matérias que manifestem opiniões sobre a temática extensão publicadas por convite ou iniciativa dos editores.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Resenhas de livros e revistas

Revisão crítica de obra recém-publicada relacionada ao escopo da Revista Práticas em Extensão, orientando o leitor quanto às suas características e usos potenciais.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

A Revista Práticas em Extensão segue o sistema de avaliação Por Pares Cegas, em que os avaliadores não têm informações sobre os autores dos artigos e nem os autores são informados sobre quem avaliou os seus trabalhos.

 

 

Periodicidade

Semestral

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.