PRÁTICAS EDUCATIVAS NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO POPULAR: FORTALECIMENTO, VALORIZAÇÃO E PROMOÇÃO DO ENVELHECIMENTO ATIVO EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES

Amós Santos Silva, Maria Fernanda dos Santos Alencar

Resumo


Neste artigo objetivou-se analisar como as atividades realizadas no Centro de Atendimento ao Idoso em Toritama/Pernambuco se caracterizavam como práticas educativas engajadas em uma perspectiva de Educação Popular, bem como paralelamente entender como a dimensão político-pedagógico e epistemológico da educação popular contribuem no desencadeamento de reflexões e ações pautadas na consolidação dos direitos do coletivo Idoso. Realizou-se um percurso teórico visando nortear a compreensão acerca da condição do Idoso na sociedade contemporânea/capitalista e sobre as bases epistêmicas presentes nas propostas educativas ancoradas na Educação Popular. Fora realizada uma pesquisa de abordagem qualitativa tendo como lócus as atividades realizadas com os Idosos do Grupo do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). Os resultados apontaram que apesar da não intencionalidade direta as atividades eram subsidiadas pelas demarcações teóricas da Educação Popular, visto que nas ações desenvolvidas (palestras, atividades artesanais, danças, etc.) o espaço pesquisado contribui de fato para o benefício social de camadas populares, possuindo, portanto, umas das características essenciais da educação popular que é a sua concepção e compromisso de classe ligada organicamente com a inclusão social do movimento popular, neste caso o dos Idosos.
Palavras-chave: Educação Popular; Envelhecimento Ativo; Práticas Educativas; Idosos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18817/pef.v23i1.1657