A VIAGEM DE SÃO BRANDÃO. PAISAGEM E PARAÍSO NA IRLANDA ANTIGA

  • Elva Johnston
Palavras-chave: Viagens, São Brandão, Geografia

Resumo

O Nauigatio Sancti Brendani (Viagem de São Brandão) é um importante texto medieval antigo, datado do século VIII e escrito na Irlanda. Era uma narrativa influente e era amplamente conhecida e adaptada em toda a Europa, chegando a ser vista como precursora das viagens ao Novo Mundo durante a Era das Descobertas. Ele conta como São Brandão, um importante abade irlandês que viveu no século VI, é chamado a fazer uma viagem à Terra Prometida dos Santos, que, segundo o texto, pode ser encontrada no Oceano Atlântico a oeste da Irlanda. Ele é acompanhado por uma tripulação de monges em sua viagem, que se prolonga por vários anos. O santo e seus companheiros devem vencer as tentações antes de chegarem ao seu destino. No caminho, Brendan visita o que são quase certamente as Ilhas Faroé no Atlântico Norte, encontra monges e eremitas, passa por uma ilha demoníaca, celebra a Páscoa nas costas de uma baleia e encontra Judas Iscariotes. O espaço em que ele viaja é ao mesmo tempo real e imaginário. Fascinante, então, a viagem de Brandão é colocada com segurança dentro da geografia real do norte e oeste do Oceano Atlântico. Como resultado, o Nauigatio oferece insights sobre as visões irlandesas da paisagem e seu significado simbólico. Este artigo explorará a geografia espiritual da jornada de São Brandão e a conectará à expressão de ideais monásticos na Irlanda medieval antiga. O que os Nauigatio podem nos dizer sobre as percepções coletivas dos monges irlandeses? Podemos detectar ecos de vidas reais em paisagens reais ao longo da costa oeste da Irlanda? Essa combinação hábil do simbólico e do real é o que diferencia o Nauigatio de outros textos irlandeses antigos e, sem dúvida, explica porque ele se tornou uma das narrativas mais populares dentre todas as primeiras narrativas medievais.
Publicado
2019-12-19