As mulheres na Vita Sancti Aemiliani e na Legenda Beati Petri Gundisalvi: um estudo de comparação diacrônica

Palavras-chave: Hagiografia, Mulheres, Comparação, Península Ibérica medieval

Resumo

A historiografia tem discutido as múltiplas funções da hagiografia, além da própria sistematização e registro das memórias de santidade vinculadas a um santo. Os estudos que analisam os textos hagiográficos em geral, e, em particular as vidas de santos, têm apontado como tais materiais promovem o cristianismo, com ênfase em ideias e valores consoantes a cada período histórico. Nesse artigo, elegemos como objeto de análise as mulheres no medievo ibérico. Para o desenvolvimento de nossas reflexões, partimos de duas obras que relatam a trajetória de dois santos: a Vita Sancti Aemiliani, elaborada no século VII, e a Legenda Beati Petri Gundisalvi, composta no século XIII. Nesse sentido, propomos uma discussão sobre a inserção social dos eclesiásticos e o papel das mulheres no medievo peninsular. Para tal realizamos um exercício comparativo em perspectiva diacrônica, inspiradas em algumas das reflexões de Paul Veyne.
Publicado
2020-06-03
Seção
Dossiê 2019.2