O Triplismo em revisão. Estudos de caso: Hispania, Gália e Britânia Romanas

Érika Vital Pedreira

Resumo


Neste breve artigo propomos uma revisão do conceito de triplismo desenvolvido entre as décadas de 1920 e 1930 e entendido como inerente à cultura das sociedades celtas de todos os períodos e regiões. Embasados pelos conceitos de hibridização (JIMÉNEZ, 2011) e emaranhamento (STOCKHAMMER, 2012a; 2012b; 2013), bem como pela análise dos epítetos utilizados nas epígrafes votivas dedicadas às divindades femininas plurais e produzidas durante o período de dominação romana de Hispania, Gália e Britânia, apontamos a impossibilidade de manter uma mesma prática inalterada por vários séculos e em uma grande extensão geográfica. Tendo em vista as transformações sócio-culturais e póliticas decorrentes dos contatos interculturais, defendemos a existência de triplismos, que consistem em diferentes formas de produção e aplicação de uma mesma prática.
Palavras-chave: Triplismo Emaranhamento Divindades femininas plurais

Abstract
In this brief article we propose a revision of the concept of triplism developed between the decades of 1920 and 1930 and understood as inherent to the culture of Celtic societies of all periods and regions. Based on the concepts of hybridization (JIMÉNEZ, 2011) and entanglement (STOCKHAMMER, 2012a; 2012b; 2013), as well as by the analysis of the epithets used in the votive epigraphs dedicated to the plural feminine deities and produced during the period of Roman domination of Hispania, Gaul and Britannia, we point out the impossibility of maintaining the same practice unaltered for several centuries and in a great geographical extent. In view of the socio-cultural and political changes resulting from intercultural contacts, we defend the existence of several forms of triplism, which consist of different forms of production and application of the same practice.
Keywords: Triplism Entanglement - plural feminine deities

Palavras-chave


Triplismo – Emaranhamento – Divindades femininas plurais

Texto completo:

PDF


Brathair 2017 Esta revista recebe o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA)