Celtas e castrejos na Península Ibérica questões sobre a identidade nacional e o substrato proto-celta

Silvana Trombetta

Resumo


O artigo visa discutir a presença dos povos castrejos e celtas na Península Ibérica. Atualmente, o debate divide-se em dois grupos. De um lado, há os que os que consideram os castrejos um dos vários grupos celtas que habitavam esta parte da Europa, sendo a afirmação de sua peculiaridade vista como um traço historicamente construído por questões de identidade nacional. Por outro lado, há arqueólogos que, apesar de não negarem o uso da denominada cultura castreja durante o século XIX para a afirmação da identidade nacional (particularmente a portuguesa), visualizam traços distintivos no Noroeste de Portugal e Espanha que vão além de um simples uso do passado por razões políticas. Assim, tais questões serão examinadas visando detectar a existência ou não de um substrato comum proto-celta, bem como as possíveis singularidades da cultura castreja.

Palavras-chave


celtas, castrejos, identidade nacional, substrato proto-celta

Texto completo:

PDF


Brathair 2017 Esta revista recebe o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA)