REGIONAIS DE SAÚDE E OS CASOS DE DENGUE NO MATO GROSSO: A CHUVA COMO PRINCIPAL FATOR PARA A PROLIFERAÇÃO DO AEDES AEGYPTI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18817/26755122.26.01.2022.2899

Palavras-chave:

Incidência. Pluviosidade. Meio Ambiente. Saúde Pública.

Resumo

Esta pesquisa caracterizou espacialmente e temporalmente (2001 a 2019) a dinâmica da dengue no estado de Mato Grosso. Estudo epidemiológico e descritivo da taxa de incidência e da mortalidade por dengue, procurando correlacionar com pluviosidade, Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), Densidade Demográfica e o Índice de Sustentabilidade de Limpeza Urbana (ISLU). A incidência de dengue não apresentou relação significativa com o (ISLU) em 66 municípios do estado de Mato Grosso (R²=0,0017; p=0,75). Isso também ocorreu com a densidade demográfi ca (R²= 0,0025; p=0,56), porém apresentou relação com a pluviosidade (R²=0,0019; p<0,05). O mês de janeiro apresentou maior incidência (83,27/100 mil habitantes). As Regiões de Saúde de Mato Grosso apresentaram maiores taxas na região Garças Araguaia (852,29 por 100 mil habitantes). A dengue revelou picos epidêmicos com altas taxas de incidência em Mato Grosso, não apresentando relação com a IDH, ISLU e Densidade Demográfica, porém apresentou relação signifi cativa com a pluviosidade.

Biografia do Autor

Tatiane Gomes de Almeida, Universidade do Estado de Mato Grosso-UNEMAT;

Mestra em Ciências Ambientais no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais pela Universidade do Estado de Mato Grosso-UNEMAT; especialista em Investigação Forense e Perícia Criminal pela UNIASSELVI; Enfermeira pela Universidade do Estado de Mato Grosso.

Ernandes Sobreira Oliveira Júnior, Laboratório de Ictiologia do Pantanal Norte-LIPAN na Universidade do Estado de Mato Grosso-UNEMAT

Doutor em Ciência e Ecologia e Conservação da Biodiversidade no Brasil pela Radboud University/Nijmegen – Holanda; Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Mato Grosso; mestre em Ecologia e Conservação da Biodiversidade pela Universidade Federal de Mato Grosso. Professor visitante no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e pesquisador no Laboratório de Ictiologia do Pantanal Norte-LIPAN na Universidade do Estado de Mato Grosso-UNEMAT

Claumir Cesar Muniz, PPGCA-UNEMAT

Doutor em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos UFSCar; mestre em Ecologia e Conservação da Biodiversidade pela Universidade Federal de Mato Grosso; Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT. Docente no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA-UNEMAT) e Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (PROFAGUA).

Downloads

Publicado

2022-07-20

Como Citar

Gomes de Almeida, T. ., Sobreira Oliveira Júnior, E. ., & Cesar Muniz, C. . (2022). REGIONAIS DE SAÚDE E OS CASOS DE DENGUE NO MATO GROSSO: A CHUVA COMO PRINCIPAL FATOR PARA A PROLIFERAÇÃO DO AEDES AEGYPTI. Revista Ciência Geográfica, 26(01), 437-453. https://doi.org/10.18817/26755122.26.01.2022.2899

Edição

Seção

ARTIGOS DE ABRANGÊNCIA GERAL