AS 7 VIDAS DO IMPÉRIO ESTADUNIDENSE (ESTADOS UNIDOS: HEGEMONIA DECADENTE?)

Autores

  • Zeno Soares Crocetti Universidade Federal da Integração Latino-Americana

Palavras-chave:

Imperialismo. Neoliberalismo. Globalização e desglobalização.

Resumo

A decadência do imperialismo entre 1983 e 2013 modificou a análise do globalitarismo neoliberal. A teoria do imperialismo explica a polarização global da renda pela transferência sistemática de recursos dos países periféricos para os capitalistas do centro. Em 2020 pode ter chegado ao fim a configuração territorial construída pelo modelo econômico neoliberal da globalização, que foi hegemônico nos últimos 40 anos sob o comando do setor financeiro global. Este modelo de “deslocalização” da produção de realocação de processos de negócio de um país para outro possibilitou uma dinâmica nova ao crescimento da produção de bens e serviços e do comércio mundial, com critérios exclusivamente determinados por fatores de aproveitamento, uso do território geográfico, ancorados exclusivamente do paradigma do lucro e condições de competitividade material internacional dos produtos (bens e serviços) e das empresas, ou seja, o funcionamento do capitalismo como conhecemos chegou ao fim?

Biografia do Autor

Zeno Soares Crocetti, Universidade Federal da Integração Latino-Americana

Instituto Latino-Americano de Tecnologia, Infraestrutura e Território. Foz do Iguaçu/Paraná/Brasil. Coordenador do Núcleo de Estudos Estratégicos Ignácio Rangel (NEIR).

Downloads

Publicado

2022-07-29

Como Citar

Soares Crocetti, Z. . (2022). AS 7 VIDAS DO IMPÉRIO ESTADUNIDENSE (ESTADOS UNIDOS: HEGEMONIA DECADENTE?). Revista Ciência Geográfica, 26(2), 618-645. Recuperado de https://ppg.revistas.uema.br/index.php/cienciageografica/article/view/2910