O FATO COMPLETO DE LUANDINO VIERA E MIA COUTO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v6i1.2793

Resumo

A partir do elemento do "fato", e seus múltiplos significados na língua portuguesa, propomos aqui uma leitura comparada entre os textos "O fato completo de Lucas Matesso", de Luandino Vieira, e "O embondeiro que sonhava pássaros", de Mia Couto. Acreditamos que, com diferentes estratégias na inserção do "fato" nestes contos, os escritores estruturam suas narrativas de forma a desvelar a opressão colonial portuguesa em seus países, fundamentalmente a opressão sofrida pelas camadas mais excluídas da sociedade. Enquanto o escritor moçambicano usa o elemento do fato/terno como símbolo da cultura europeia para, então, criticar o colonialismo, Luandino se vale da polissemia do português transformado pelo povo angolano para fazer sua crítica ao regime colonial, polissemia que, vale dizer, não existe na noção colonial autossuficiente portuguesa.

Biografia do Autor

David Pereira Júnior, Universidade de São Paulo

Pós-graduado lato sensu em Língua Portuguesa e Literatura
pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mestrando em
Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa,
na Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

2022-07-28

Como Citar

PEREIRA JÚNIOR, D. O FATO COMPLETO DE LUANDINO VIERA E MIA COUTO. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 211-220, 2022. DOI: 10.18817/rlj.v6i1.2793. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/2793. Acesso em: 7 out. 2022.