IMAGENS DE MEMÓRIA E SUBALTERNIDADE NO CONTO “ALMA”, DE ITAMAR VIEIRA JUNIOR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18817/rlj.v6i2.3037

Resumo

Este trabalho objetiva analisar o conto “Alma”, publicado no livro Doramar ou A Odisseia (2021), de Itamar Vieira Junior. No conto, há relatos a partir da memória da protagonista sobre a situação da subalternidade a que estava submetida, enquanto escrava e mulher negra. A partir dos episódios apresentados pela narradora, o texto traz imagens verbais que potencializam a voz do escravizado, narrando ao leitor os fatos na perspectiva do oprimido, ou seja, seu ponto de vista dos acontecimentos. Para embasar nossas proposições analíticas, utilizaremos as considerações de Gayatri Spivak (2010) e Lilian Prazeres (2015), sobre o conceito de subalternidade, de Michell Pollak (1989; 1992) a respeito da memória; e de Liliane Louvel (2012) e Márcia Arbex (2006), acerca das relações imagéticas no texto.

Biografia do Autor

Iranilde dos Santos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Mestranda em Estudos Literários pelo Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (PPLIN/UERJ). Possui Especialização em Estudos Literários (2014) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), no polo Faculdade de Formação de Professores (FFP). É graduada em Letras - Licenciatura plena Língua Portuguesa (2011) pela Universidade do Estado do Pará (UEPA).

Downloads

Publicado

2022-12-29

Como Citar

DOS SANTOS, I. IMAGENS DE MEMÓRIA E SUBALTERNIDADE NO CONTO “ALMA”, DE ITAMAR VIEIRA JUNIOR. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, [S. l.], v. 6, n. 2, p. 338-352, 2022. DOI: 10.18817/rlj.v6i2.3037. Disponível em: https://ppg.revistas.uema.br/index.php/jucara/article/view/3037. Acesso em: 8 fev. 2023.