CARACTERIZAÇÃO DA PESCA ARTESANAL DA LAGOSTA E PERFIL SOCIOECONÔMICO DO PESCADOR NO LITORAL DO PIAUÍ

Danyela Carla Elias SOARES, Ricardo Rios MARQUES

Resumo


O quadro geral da caracterização da pesca de lagosta, no litoral do Piauí, obtido pelos questionários aplicados aos pescadores artesanais traça um perfil, no qual a maioria dos pescadores de lagosta são piauienses do sexo masculino, a maioria alfabetizados ou semi-alfabetizados, com idade entre 18 e 67 anos. Possuem pouca capacitação profissional na área, e utilizam, como principal arte de pesca, a armadilha (manzoá ou covo). Dos que utilizam a pesca de mergulho com compressor, pescam em uma profundidade de até 20 metros com a mangueira direta na cavidade bucal e passam de 2 a 4 horas no mar. A maioria revelou que, apesar de saber do perigo dessa prática, eles a utilizam pelo sucesso e facilidade de captura do animal. Em termos gerais, este estudo é uma contribuição para o entendimento que contempla a atividade pesqueira da região. Como estudo pioneiro, foram encontrados resultados interessantes e bem relevantes, mas esses devem ser investigados mais profundamente do ponto de vista científico.

Palavras-chave


Pesca artesanal, Lagosta, Meio ambiente, Socioeconomia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18817/repesca.v10i2.1487

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Catálogos, Portais, Bases Bibliográficas, Índices e Sistemas de Indexação http://sumarios.org/sites/default/files/zeropoint_logo.png https://www.abecbrasil.org.br/novo/wp-content/uploads/2015/09/Banner-com-movimento-de-entrada-de-seta.gif