TRÊS QUESTÕES SOBRE FORMAÇÃO DE LEITORES: BIBLIOTECAS ESCOLARES, PRÁTICA DE LEITURA E FRAGMENTAÇÃO

  • Milena Ribeiro Martins UFPR

Resumo

Este texto trata de três aspectos inter-relacionados do ensino de literatura. O primeiro deles diz respeito à necessidade de bibliotecas escolares e à sua centralidade na formação leitora; apresenta algumas políticas públicas de dotação de acervos e a lei que levaria, idealmente, à existência de bibliotecas em todas as escolas brasileiras. O segundo aspecto discutido é a insistência em discursos sobre o hábito e o prazer da leitura, quando a sua prática deveria ser o foco. Prazer e hábito são vistos como eventuais consequências da prática, motivo pelo qual esta última deve ser o alvo. E o terceiro tópico discute a fragmentação do tempo escolar e a predominância de textos curtos no contexto escolar, em detrimento da leitura de gêneros extensos (como romances e biografias), que propiciem continuidade de experiência leitora.

Biografia do Autor

Milena Ribeiro Martins, UFPR

É professora do Curso de Letras e da Pós-Graduação em Estudos Literários da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Fez Licenciatura em Letras (1995), Mestrado em Letras (1998) e Doutorado em Teoria e História Literária (2003) na Unicamp. Atualmente, dedica-se ao ensino e à pesquisa dos seguintes temas e áreas: Literatura Brasileira, História da Literatura, História do Livro e da Leitura, Monteiro Lobato, Modernismo Brasileiro, Formação de Leitores, Biblioteca escolar.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Ribeiro MartinsM. TRÊS QUESTÕES SOBRE FORMAÇÃO DE LEITORES: BIBLIOTECAS ESCOLARES, PRÁTICA DE LEITURA E FRAGMENTAÇÃO. REVISTA DE LETRAS - JUÇARA, v. 3, n. 2, p. 6-17, 31 dez. 2019.