FREQUÊNCIAS FENOTÍPICAS E ALÉLICAS DOS SISTEMAS ABO E Rh NA REGIÃO CENTRO-NORTE DO ESTADO DO MARANHÃO, BRASIL.

Autores

  • Andiara Garcez de Souza Silva
  • Hallyne Davinck Mesquita Moreira
  • Adriana do Nascimento Cavalcante
  • Marjane Soares Ferreira
  • Gisele Cavalcante Moraes
  • Selma Patrícia Diniz Cantanhede
  • Nêuton Silva-Souza
  • Ligia Tchaicka

DOI:

https://doi.org/10.18817/pesquisa%20em%20foco.v20i1.783

Resumo

Estudos dos grupos sanguíneos ABO e Rh desempenham um importante papel em Obstetrícia, Biologia Molecular, Evolução, entre outras áreas do conhecimento. Este trabalho teve como objetivo determinar a distribuição dos alelos dos sistemas ABO e Rh em 1491 indivíduos provenientes de cinco cidades da região Centro-Norte do Maranhão. Com relação ao sistema Rh, 92% do total de indivíduos tipificados apresentaram o fenótipo Rh positivo, com frequência alélica D estimada que variou de 0,69 a 0,75. Para a população feminina total amostrada, 9,06% apresentaram o fenótipo Rh (-). O grupo sanguíneo O foi mais abundante em todas as cidades amostradas, enquanto o grupo AB foi o menos representativo. Em relação às frequências alélicas estimadas, o gene i foi o mais prevalente, com frequências variando de 0,7276 a 0,7877 e para o alelo menos freqüente, o IB, as frequências alélicas variaram de 0,0598 a 0,0903. A análise estatística revelou não haver diferenças significativas entre as populações amostradas, e também em relação às condições de equilíbrio propostas por Hardy-Weinberg para o Sistema ABO. A estimativa da contribuição genética de diferentes grupos étnicos que deram origem à população maranhense revelou um forte componente negro de 37,75%, maior que o observado em regiões próximas do Brasil. Palavras-chave: grupos sanguíneos, Maranhão, sistema ABO, sistema RH. ABSTRACT Studies of ABO and Rh blood groups play an important role in Obstetrics, Molecular Biology, Evolution, among other areas of knowledge. This study aimed to determine the distribution of the alleles of the ABO and Rh system in 1491individualsfrom five cities in the central-northern Maranhão. For the Rh system, 92% of typified individuals had the phenotype Rh positive, with estimated allele frequency ranging from 0.69 to 0.75. For the total female population sampled, 9.06% had the phenotype Rh(-). Blood group O was more abundant in all cities sampled, while the AB group was less representative. Regarding the estimated allele frequencies, gene i was the most prevalent, with frequencies ranging from 0.7276 to 0.7877and the less frequent allele was the IB allele, with frequencies ranged from 0.0598 to 0.0903. Statistical analysis of data from ABO system revealed no significant differences between the populations sampled, and also in relation to the conditions of equilibrium proposed by Hardy-Weinberg. The estimate of the genetic contribution of different ethnic groups that originated the population revealed a strong black component37.75%, higher than that observed in next regions of Brazil. Keywords: bloods groups, Maranhão, ABO system. RH system.

Downloads

Publicado

2015-06-29

Edição

Seção

Artigos