COMPORTAMENTO SOCIAL E CRESCIMENTO EM PARACHROMIS MANAGUENSIS (GÜNTHER, 1867) (PISCES, CICHLIDAE): UMA ESPÉCIE INTRODUZIDA NO BRASIL

  • José Milton Barbosa
  • Ivo Thadeu Lira Mendonça
  • Manlio Ponzi-Junior

Resumo

Este trabalho teve por objetivo estudar o comportamento: hábito social, hierarquia de dominância, hábito alimentar, e suas relações com o crescimento no peixe-jaguar Parachromis managuensis, espécie centro-americana introduzido no Brasil da qual pouco se conhece da biologia, apesar de utilizado na aqüicultura. Para o estudo do comportamento, os alevinos foram observados por 60 dias em 8 aquários (50 litros dágua, quatro alevinos cada) abastecidos em sistema fechado com filtro biológico. O crescimento heterogêneo (CHet) foi calculado pelo coeficiente de variação do peso (CV%) e a avaliação estatística por ANOVA e teste de Tukey (p = 0,05). A alimentação constou de ração balanceada (34% de proteína bruta) e alimento vivo: um lebiste (Poecilia sp.) por peixe. P. managuensis apresenta hábito territorial, é um predador voraz, mas também aceita ração. Apresenta confrontos agonísticos para estabelecimento da hierarquia de dominância, em três níveis: primeiro dominante (D1), segundo dominante (D2) e submissos (S1 e S2). Os dominantes (D1) crescem mais que os submissos a partir do trigésimo dia de agrupamento (F(3;28) = 5,56 p<0,01) e que todos os animais do grupo, dos 45 dias (F(3;28) = 13,13, p<0,01), até o final do experimento (F(3;28) = 20,01, p<0,01). A posição hierárquica é diretamente proporcional ao crescimento, e o CHet é crescente (4,25%, no início do experimento e 42,7% no final do experimento). É possível sugerir que fatores comportamentais afetam diretamente o crescimento de peixes de hábitos territoriais
Publicado
2009-03-22
Se??o
Artigos