VEICULAÇÃO DE ENTEROBACTÉRIAS RESISTENTES AOS ANTIMICROBIANOS EM FRUTOS DO MAR

Norma Suely Evangelista-Barreto, Adriana Pereira Sampaio, Rebeca Ayala Rosa Silva, Margarete Alice Fontes Sampaio, Irana Paim Silva

Resumo


O consumo de frutos do mar tem sido responsável por inúmeros casos de toxinfecções alimentares em humanos. Dentre os microrganismos mais implicados nesses surtos se destacam Escherichia coli e Salmonella spp.. O presente trabalho teve como objetivo identificar cepas suspeitas de E. coli e Salmonella spp. isoladas de amostras de sururu in natura e siri processado, bem como verificar a resistência antimicrobiana frente a antimicrobianos comerciais. De um total de 50 cepas suspeitas de E. coli (25) e Salmonella spp. (25), nove foram confirmadas como Salmonella (sururu) e 17 como E. coli (12 sururu e 05 siri processado). Resistência antimicrobiana foi observada para a vancomicina (100%) em ambos os microrganismos. Salmonella spp. se mostrou resistente a cefalotina e a tetraciclina (88,8%) e E. coli a tetraciclina (29,4%), ampicilina e sulfametoxazol-trimetropin (23,5%). Perfil de multirresistência foi observado em todas as cepas de Salmonella e para E. coli apenas nos isoladas de sururu. Genes de resistência móveis foram observados em 77,7% das cepas de Salmonella e 17,6% das cepas de E. coli. A presença de enterobactérias patogênicas multirresistentes em mariscos representa um risco à saúde dos consumidores, uma vez que podem causar infecções de difícil tratamento ou mediar resistência para a microbiota indígena do trato gastrintestinal do homem.

Palavras-chave


Microbiologia do pescado

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18817/repesca.v10i2.1146

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Catálogos, Portais, Bases Bibliográficas, Índices e Sistemas de Indexação http://sumarios.org/sites/default/files/zeropoint_logo.png https://www.abecbrasil.org.br/novo/wp-content/uploads/2015/09/Banner-com-movimento-de-entrada-de-seta.gif