DESEMPENHO ZOOTÉCNICO DE JUVENIS DE Macrobrachium amazonicum SOB DIFERENTES DENSIDADES DE ESTOCAGEM EM SISTEMA DE RECIRCULAÇÃO

  • Fabrício Martins DUTRA Universidade Federal do Paraná
  • Pedro Gusmão BORGES NETO Universidade Federal do Paraná
  • Sandra Carla FORNECK Universidade Federal do Paraná
  • Eduardo Luis Cupertino BALLESTER Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Aquicultura, Carcinicultura, Sustentabilidade, Camarão de água doce

Resumo

O objetivo foi avaliar o efeito da densidade de estocagem sobre o desempenho zootécnico de juvenis de Macrobrachium amazonicum em sistema de recirculação em local aberto. O trabalho foi conduzido em caixas de polipropileno de área de 0,5 m² de fundo, durante 60 dias, em sistema de recirculação. O delineamento foi inteiramente casualizado, contendo cinco tratamentos (10, 20, 40, 60 e 80 Pós-larvas/m²) e quatro repetições. Os animais apresentaram peso e comprimento iniciais de 1,19±0,38 g e 4,97±0,56 cm. Os resultados foram submetidos à ANOVA e as médias comparadas através do teste de Tukey (α = 0,05). Os resultados encontrados para os tratamentos com 10, 20, 40, 60 e 80 camarões/m² foram de 1,86±0,28 g e 5,03±2,19 cm; 2,12±0,19 g e 6,35±2,86 cm; 2,50±0,09 g e 6,73±0,90 cm; 2,31±0,17 g e 6,53±1,34 cm e de 2,41±0,16 g e 6,73±1,05 cm respectivamente. A sobrevivência para o tratamento com 10 camarões/m² foi de 87%, enquanto para os tratamentos com 20, 40, 60 e 80 camarões/m² foram de 87%, 79%, 82% e 78% respectivamente. Entretanto, não foram observadas diferenças significativas (p>0,05) para peso, comprimento total e sobrevivência entre os tratamentos. As variáveis de qualidade de água se mantiveram adequadas para a biologia da espécie ao longo do período experimental. Conclui-se, portanto, que a densidade de 80 camarões/m² proporciona desempenho produtivo satisfatório, por promover melhor aproveitamento da área e do recurso hídrico.
Publicado
2016-06-07
Seção
Artigos