CULTIVO DE PÓS-LARVAS DE TAMBAQUI EM CINCO CONCENTRAÇÕES DO EXTRATO AQUOSO DE AMENDOEIRA

  • Rodrigo Numeriano de Souza
  • José Milton Barbosa
  • Willy Vila Nova Pessoa
  • Elton Lima Santos
  • Saulo Ramos Souza de
  • Amanda Lacerda Itani
Palavras-chave: Colossoma macropomum, sobrevivência, crescimento, Terminalia catappa

Resumo

O trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de diferentes concentrações do extrato aquoso de folhas desidratadas de amendoeira (Terminalia catappa) sobre a sobrevivência e o crescimento de pós-larvas de tambaqui (Colossoma macropomum). Durante sete dias foram testados quatro tratamentos em quatro repetições (0,25; 0,5; 0,75 e 1,00 g L-1), e um controle com 0 g L-1. Foram utilizados 20 tanques (7 L) distribuídos ao acaso com trinta pós-larvas em cada (0,71 ± 0,04 cm) sob constante aeração. Os peixes foram alimentados em quatro refeições diárias com gema de ovo. O crescimento não apresentou diferença significativa entre os tratamentos, entretanto a sobrevivência foi superior para os tratamentos com o extrato de amendoeira. A sobrevivência dos tratamentos controle e 1,00 g L-1 do extrato foram iguais entre si; entretanto o tratamento controle mostrou menor sobrevivência. Além disso, foi calculada a concentração ótima (Cótima) do extrato para as pós-larvas (0,63 g L-1) através da equação polinomial da regressão ajustada aos dados. Os resultados desse estudo indicam que o cultivo de pós-larvas com o uso do extrato de amendoeira entre 0,5 e 0,75 g L-1 alcança uma maior sobrevivência que o tratamento controle sem comprometer a taxa de crescimento.
Publicado
2011-03-16
Se??o
Artigos